Um espaço para sermos …circunstancialmente…

Algumas pequenas coisas nos causam indignação. Reagimos destemperadamente por coisas minúsculas. Temos reações com intensidade quase de raiva diante de coisas tão sem sentido, às vezes. E aqui vou abrir uma coisa – bem pequena – mas que me causa uma reação de imediato e com uma intensidade acima do normal. Sabe a que me refiro? Aos adesivos idiot… ops… adesivos fixados em veículos pela cidade.              

Com mensagens tão sem racionalidade que hoje vou gastar meu tempo conversando sobre algumas delas (por aí percebe-se como elas me incomodam). Vamos ver – e comentar – algumas:

– “Falar de mim é fácil, difícil é ser eu” – Primeira questão: Falar de qualquer pessoa é fácil, inclusive “dele”. Ou seja, não é um mérito dele essa facilidade de falar da vida alheia. Segunda questão: não é difícil ser “ele”. É impossível! Todos são diferentes. E outra coisa… quem é que está querendo ser ele? Quem tem essa vontade? Ahhh…ninguém está a fim de ser “ele”. Ponto final. Vamos para a próxima…

– “A sua inveja é a velocidade do meu sucesso” – Meu Deus…me irrita até comentar isso. Como alguém pode fixar uma mensagem dessa num veículo. Isso só pode ser fixado por alguém muito mal resolvido que acha que todo mundo está invejando a combi dele. Só pode ser isso. Bom sucesso, meu amigo…seja feliz com sua torturante mania de perseguição…

– “Não me inveje, trabalhe” – Essa é de matar…por onde começo… O cara tá me mandando trabalhar? Eu chego em casa todo dia a noite  e acordo às 05h da manhã. Todo dia! E ele tá mandando a gente trabalhar e…pior…porque estamos invejando ele? Vai catar coquinho… Não vou comentar mais…

– “Quando Deus quer é assim” – Assim como? Igual ao seu? Mesmo ano? Mesmo modelo? Mesma marca? O meu então eu comprei por conta própria? Sem Deus? E quem queria o meu…o diabo? É só o que posso achar com essa frase. Que quando Deus quer “é assim”, como o dele. Diferente do dele foi o “outro” lado que quis. E tem mais um problema…às vezes o carro do cara (o que “Deus quis”) tá um bagaço…todo arrebentado…e aí fica perigoso. Porque sou tentado a pensar: “Então, Deus, pode deixar que eu escolho só! O do cara aí do lado o Senhor escolheu e olha só o caco que tá…pode deixar…”. Ou não é isso, gente?

– “Foi Deus que me deu” – Ah foi? E o meu, foi quem? Foi a tua m…opa…perdão. Foi sua genitora? Ou foi o capeta? É o mesmo problema da frase anterior. Das duas, uma: ou o cara não gostou do carro que “Deus” deu a ele e meio que está justificando a escolha dizendo “não tenho culpa desse carro ser assim…foi Deus que me deu…ele que escolheu esse negócio” ou, ainda, o cara está dizendo assim “esse carro excelente você não precisa invejar…foi Deus que me deu…mas ele só dá a alguns”. Imagina a cara de quem está em pé, num ônibus, há uma hora em pé, voltando para casa no final do dia…uma catinga triste de suor…e aí passa um desgraçado de carro e pára ao lado dele. O coitado, em pé, quase se deitando sobre seus braços enquanto se segura no ônibus…e aí lê esse adesivo no carro parado ao seu lado, lá embaixo (sim, porque o cara voltando num ônibus, no final do expediente, em pé, fica olhando pra baixo…não tem mais forças de ficar olhando nem pra frente)…você imagina o que passa na mente dele? “Foi Deus que me deu”. Por que? Por que Deus deu a ele e não deu a mim? Por que??? O que eu fiz pior que ele? Por que só a ele? Que mal eu fiz para não ter também? Sou filho de Deus também não? Dá a uns e não dá a outros? Isso é injustiça!! Por que? E vai embora com raiva de Deus…e do adesivo…

– “Esse sim foi Deus que me deu” – Já viram essa? Eu já. E quase bato meu carro lendo esse adesivo… O que houve agora? Por que a ênfase “Esse sim…?” Vamos pensar…já sei…o cara tinha um carro e colocou “Foi Deus que me deu” e roubaram ele. Ou bateram nele e foi perda total. Ou o carro era uma droga e ele depois descobriu que não foi Deus nada que tinha dado a ele aquela droga. Sei lá o que foi…o cara se separou e teve que dar o antigo carro a mulher e ficou sem nada…ou o cara não pagou as parcelas e o leasing tomou…O que sei é que é alguém frustrado porque achou que o outro era de Deus e não era. E aí eu fico me perguntando…e se esse atual não for também? Como vai ser o próximo adesivo? “Esse eu tenho certeza, foi Deus que me deu” ou “Os outros não, mas esse sim foi Deus que me deu”.

– “Jesus, o segredo do meu sucesso” – É o fim! Jesus é agora segredo de sucesso? Em primeiro lugar ele é um “segredo”? Não, não é um segredo…tá aí para todo mundo saber e seguir. E outra coisa…a função de Jesus é ser segredo de sucesso, dica de sucesso? É isso que Jesus é? Amuleto? Igual a um pé de cabra, copo de sal grosso, ferradura na porta? Esse não sabe nada de Jesus e usa Ele como se fosse um talismã. Imagina o que Jesus acha disso?

Mas, como grata surpresa, fui numa feirinha regional no centro de Recife e numa das barracas tinha uma plaquinha pendurada que fiz questão de tirar uma foto: “Nem tudo o que dá certo é certo”.  Ótima frase. Essa valeria a pena se transformar num adesivo…

Boa viagem a todos.

Comentários em: "Falar de mim é fácil…" (1)

  1. FLAVIA disse:

    O q devo colocar no meu carro então?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: